• Redação

Áudio atribuído a cinegrafista que morreu de covid-19 viraliza nas redes sociais


Após 24h do sepultamento do cinegrafista Gilmar Vasconcelos Gomes (50), vitima das complicações por causa do coronavírus, um suposto áudio viralizou nas redes sociais, nesta quinta-feira (18). No áudio um homem com voz ofegante fala que já aceitou que irá morrer devido seus pulmões estarem comprometidos.



O áudio veio a tona justamente um dia depois que um apresentador de TV de Salvador, acusou o Sindicato dos Radialistas e Publicitários (SINTERP) de omissão e de não estarem preocupados com os profissionais de imprensa, alegando que são grupos prioritários.



Veja a matéria: Presidente do Sinterp chama apresentador do Bahia Urgente de desequilibrado mental.



Segundo Carlos Ramos, amigo próximo de Gilmar, informou que ele vinha trabalhando normalmente até o mês de fevereiro, quando se queixou de mal-estar e febre, orientado ele foi até o Hospital da Bahia, onde foi feito o primeiro teste para o covid-19 que deu negativo, medicado Gilmar retornou para sua casa. Após três dias sem sinais de melhora, ele foi levado até o posto médico da prefeitura no bairro de Brotas, um novo teste foi feito e confirmado positivo para o coronavírus. Depois de medicado ele voltou para casa, passados mais dois dias, seu estado agravou devido ser hipertenso e diabético, encaminhado ao Hospital Santa Izabel, no bairro de Nazaré, onde ficou internado e após 40 dias não resistiu vindo a óbito.



O suposto áudio que está sendo atribuído a última mensagem de Gilmar, onde ele se despede dos familiares e amigos, viralizou nas redes sociais, ao ponto que a família e amigos ao receberem a cópia do áudio se revoltaram, causando ainda mais dor a todos que conheciam "uma pessoa que se presta a fazer um áudio desse para causar revolta na família e amigos merece ser preso", afirmou Carlos Ramos.



A notícia de que um áudio de Gilmar se despedindo antes de morrer foi desmentido por amigos e familiares, devido nos últimos dias Gilmar se encontrava sedado e intubado com aparelho de respiração mecânico. Um outro fato que comprova que se trata de um áudio falso foi o fato do homem dizer que estava internado no Hospital Tereza De Lisieux, essa informação não procede já que todo tempo Gilmar ficou internado no Hospital Santa Izabel.



Diante desse fato, mostra o tamanho da maldade de um homem que se utilizou de áudio falso para criar comoção e dor a uma família inteira, além de outras centenas de famílias que perderam seus entes queridos.



O site Rx Notícias orienta a família para que seja prestado uma queixa crime na polícia civil e acionar o Ministério Público da Bahia, para seja aberta uma investigação para identificar o autor ou os mandantes deste ato criminoso.





Veja Mais

Veja Mais