• Redação

AHF será primeira ONG a fornecer medicamentos para HIV no Brasil


Tratamento começará a ser feito poucas horas após o diagnóstico; hoje, demora pode chegar a seis meses em alguns serviços de saúde



A AHF Brasil será a primeira ONG a fornecer medicamentos para HIV no país. A distribuição dos antirretrovirais na Clínica do Homem do Recife começa em 14 de maio, dia em que a unidade completa três anos de funcionamento.

Com a iniciativa, o tratamento será iniciado poucas horas após o diagnóstico positivo. Em alguns serviços de saúde do Brasil, o tempo de espera chega a seis meses, o que favorece a replicação do vírus no organismo, aumentando a chance de desenvolver aids.

Por mês, de 30 a 40 pessoas são diagnosticadas com HIV na clínica da AHF no Recife. A fase piloto do projeto seguirá até junho.



Como vai funcionar

Quem fizer teste de HIV na clínica e der positivo terá consulta com psicólogo e será avaliado por um infectologista, que prescreverá os antirretrovirais. Um farmacêutico orientará sobre a forma correta de tomar os medicamentos.

Em seguida, a pessoa fará os exames que detectam a quantidade de HIV (carga viral) e de células de defesa (CD-4) no organismo. Eles são importantes para o acompanhamento clínico do paciente e para o controle da epidemia, pois quem tem carga viral indetectável não transmite o vírus.




Com os exames feitos, a pessoa será encaminhada para uma unidade de referência no atendimento de HIV/aids do Sistema Único de Saúde, onde passará a ser acompanhada.

Isso permitirá, por exemplo, que os médicos da rede pública local se dediquem a casos mais graves, uma vez que os pacientes da AHF já chegarão com a primeira etapa da abordagem clínica concluída.




"Com este projeto, vamos ampliar a capacidade de atendimento às pessoas com HIV. Saber se você tem o vírus é tão importante quanto, em caso positivo, iniciar o tratamento o mais rápido possível. Esse é um dos grandes desafios atualmente", avalia Beto de Jesus, diretor da AHF Brasil.

Ele ressalta que os pacientes com HIV diagnosticados na clínica da AHF continuarão sendo tratados pelo SUS, só que agora com um modelo híbrido de atendimento, em parceria com a ONG.

"Já passou da hora de discutirmos novas formas de melhorar o atendimento às pessoas, pois o mundo mudou. E a pandemia de covid-19 acelerou esse processo. Num futuro breve, esperamos, por exemplo, ter teleatendimento e entrega de medicamentos de HIV via correios", avalia.

A iniciativa pioneira de começar o tratamento para HIV em uma ONG é fruto de uma parceria entre a AHF Brasil, o Governo do Estado de Pernambuco e o Ministério da Saúde.

Clínica pioneira faz três anos

Primeira clínica do Brasil especializada em infecções sexualmente transmissíveis (IST) e com foco na população masculina, a Clínica do Homem do Recife completa três anos no dia 14 de maio. Desde a inauguração, já foram realizados mais de 38 mil atendimentos.

Com a pandemia de covid-19, o atendimento passou a ser feito apenas com hora marcada, para evitar aglomerações. A unidade oferece teste gratuito para HIV, sífilis e hepatites virais, entre outras IST, além de medicamentos e aconselhamento com psicólogos.

Ainda neste ano, a AHF Brasil abrirá sua segunda clínica no país, em São Paulo. A unidade ficará no centro da cidade e atenderá a população geral, com atenção especial aos grupos mais vulneráveis ao HIV, como profissionais do sexo, transexuais, gays e homens que fazem sexo com homens.


Veja Mais

Veja Mais