• Redação

Atirador da sinagoga do Texas era conhecido da inteligência britânica



O suposto atirador que fez quatro reféns em uma sinagoga do Texas era conhecido do serviço de inteligência doméstico do Reino Unido, informou a BBC.



Frank Gardner, correspondente de segurança da emissora britânica, disse na terça-feira que o MI5 estava ciente de Malik Faisal Akram , que eles teriam investigado em 2020 como um “assunto de interesse” .



Na época em que Akram voou para os Estados Unidos, ele não era mais considerado um risco, disse Gardner em um tweet.


Akram, um cidadão britânico de 44 anos de Blackburn, uma cidade do norte da Inglaterra, foi morto a tiros no sábado após um impasse de horas com a polícia na sinagoga da Congregação Beth Israel, perto de Fort Worth.



As autoridades se recusaram a dizer quem atirou nele, dizendo que o caso ainda está sob investigação. Eles não disseram como ou quando Akram entrou nos EUA, mas relatos citando fontes policiais não identificadas sugerem que ele chegou ao país pelo Aeroporto Internacional JFK de Nova York cerca de duas semanas atrás.



As quatro pessoas que ele teria feito reféns acabaram sendo libertadas, ilesas, após o calvário que começou depois das 11h (17h GMT) no horário local e terminou por volta das 21h (03h GMT).



O presidente dos EUA, Joe Biden, que classificou o ataque como um "ato de terror", disse que Akram teria comprado as armas usadas no incidente "na rua" depois de chegar do Reino Unido.



A polícia britânica disse que oficiais de “contraterrorismo” prenderam dois adolescentes no domingo em conexão com o caso, embora nenhuma acusação contra os dois tenha sido anunciada ainda.



No domingo, o irmão de Akram, Gulbar, disse que seu irmão estava mentalmente doente.

Durante o impasse, os parentes de Akram estavam na delegacia de Blackburn em contato com Faisal, os negociadores e o FBI.


“Não havia nada que pudéssemos ter dito ou feito para convencê-lo a se render”, escreveu Gulbar na página do Facebook da Comunidade Muçulmana de Blackburn.



O vídeo do incidente de sábado, pela estação de TV local WFAA, mostrou pessoas correndo pela porta da sinagoga. Um homem segurando uma arma foi visto abrindo a mesma porta. Segundos depois, ele se virou e a fechou.



Em seguida, vários tiros e uma explosão foram ouvidos. Durante as negociações, Akram falou repetidamente sobre um neurocientista paquistanês que está cumprindo uma sentença de 86 anos de prisão em uma instalação em Fort Worth, disseram as autoridades.



Akram pode ser ouvido em uma transmissão ao vivo no Facebook durante o incidente, exigindo a libertação de Aafia Siddiqui, que foi condenada por tentar matar oficiais do Exército dos EUA no Afeganistão.



Sua punição alimentou a indignação no Paquistão entre líderes políticos e simpatizantes, que a veem como vítima do sistema de justiça criminal americano. ..6O advogado de Siddiqui disse no sábado que ela não teve envolvimento na situação dos reféns.




Fonte: AlJazeere

Veja Mais

Veja Mais