• Redação

Avião da Força Aérea das Filipinas cai na ilha do Sul em chamas neste domingo


Um avião da Força Aérea das Filipinas caiu neste domingo (4), na ilha do Sul, das Filipinas, matando pelo menos 45 pessoas. Autoridades disseram que algumas vítimas pularam antes do avião atingir o solo, foi o pior desastre aéreo militar do país em quase 30 anos.







Fotos da cena mostravam chamas e fumaça saindo dos destroços espalhados entre os coqueiros enquanto homens em uniformes de combate circulavam, enquanto uma coluna de fumaça negra espessa subia para o céu.




A aeronave de transporte Lockheed C-130, transportando tropas com destino a operações de contra-insurgência, caiu com 96 pessoas a bordo. O avião tentou pousar no aeroporto de Jolo, mas ultrapassou a pista sem tocar o solo. Ele não conseguiu recuperar potência e altura suficientes e caiu nas proximidades de Patikul.




"Vários soldados foram vistos pulando da aeronave antes que ela atingisse o solo, poupando-os da explosão causada pelo acidente", disse a Força-Tarefa Conjunta Sulu em um comunicado, não ficando claro quantos pularam ou se sobreviveram, chefe militar Cirilito Sobejana disse que o avião "perdeu a pista ao tentar recuperar o poder".




O Departamento de Defesa Nacional disse que 45 pessoas foram mortas, incluindo três civis no terreno, enquanto 53 ficaram feridas, incluindo quatro civis. Cinco militares ainda estavam desaparecidos. Um porta-voz militar, o coronel Edgard Arevalo, disse que não havia sinais de qualquer ataque ao avião, mas uma investigação ainda não havia começado, pois os esforços estavam concentrados em resgate e tratamento.




O comando militar disse que os soldados a bordo tinham patente de soldado raso e estavam sendo destacados para seus batalhões. Eles estavam voando para o aeroporto provincial de Jolo de Laguindingan, cerca de 460 km (290 milhas) ao nordeste.



O exército no extenso arquipélago filipino tem travado uma longa guerra contra militantes islâmicos de Abu Sayyaf e outras facções. “Eles deveriam se juntar a nós em nossa luta contra o terrorismo”, disse o comandante William N. Gonzales da Força-Tarefa Conjunta Sulu.



O aeroporto de Jolo tem uma pista de 1.200 metros que normalmente recebe voos turboélice civis, embora ocasionalmente alguns voos militares, de acordo com um porta-voz da Autoridade de Aviação Civil das Filipinas. A ilha Jolo, parte do arquipélago Sulu, fica a cerca de 950 km (600 milhas) ao sul da capital, Manila.




A aeronave Lockheed C-130H Hercules, com o registro 5125, havia chegado recentemente às Filipinas. Foi uma das duas aeronaves fornecidas pelo governo dos EUA por meio da Agência de Cooperação para a Segurança da Defesa, informou um site do governo em janeiro. Ele citou um porta-voz da Força Aérea dizendo que a aeronave aumentaria a capacidade para missões de transporte aéreo pesado.




O site C-130.net disse que o avião que caiu voou pela primeira vez em 1988. O modelo é um burro de carga para as forças armadas de todo o mundo.




As Forças Armadas das Filipinas têm um histórico irregular de segurança aérea. No mês passado, um helicóptero Black Hawk caiu durante uma missão de treinamento, matando seis pessoas.



Um outro acidente com o C-130 da Força Aérea das Filipinas, aconteceu em 1993, causando 30 vítimas fatais. Em 2008, um avião Lockheed pilotado pela Força Aérea das Filipinas, caindo com 11 pessoas, disse a Aviation Safety Network.




O pior acidente de avião no país foi o de um Boeing 737 da Air Philippines em 2000, matando 131 pessoas.

Fonte: Reuters

Veja Mais

Veja Mais