• Redação

Beirute: Mortos e milhares de feridos na explosão




Uma grande explosão aconteceu nessa terça-feira (4) por volta das 16h (horário local) na capital do Líbano em Beirute. De acordo com as últimas informações das autoridades locais informam que 73 pessoas foram mortas e mais de 4.000 feridos.



Segundo o ministro da Saúde do Líbano, Hamad Hassan, a explosão destruiu grande parte do porto da capital, e pode ser sentida em toda a cidade quando uma nuvem gigante de cogumelos se elevou acima dela. A onda de choque destruiu vários edifícios e quebrando janelas.



No primeiro momento não se sabia a causa da explosão e não descartaram a hipótese de que se tratava de um atentado.



O primeiro-ministro do Líbano, Hassan Diab, disse que os responsáveis ​​por uma explosão em um armazém "perigoso" na área portuária de Beirute, que abalou a capital, pagariam o preço. "Eu prometo a você que essa catástrofe não passará sem responsabilidade. Os responsáveis ​​pagarão o preço", disse em um discurso televisionado.



Israel diz que ofereceu ajuda humanitária ao Líbano por canais estrangeiros, já que os dois países não têm relações diplomáticas.



"Sob a direção do ministro da Defesa Benny Gantz e do ministro das Relações Exteriores Gabi Ashkenazi, Israel abordou o Líbano por meio de canais diplomáticos e de defesa internacional para oferecer ajuda humanitária médica ao governo libanês ", disseram os dois em comunicado conjunto.



O movimento Hezbollah do Líbano disse que todos os poderes políticos do país devem superar a "catástrofe dolorosa" e se unir.





O chefe de segurança geral Abbas Ibrahim, diz que 2.700 toneladas de nitrato de amônio estavam no porto de Beirute a caminho da África quando explodiram.



Logo após, o Presidente libanês Michel Aoun disse que é "inaceitável" que 2.750 toneladas de nitrato de amônio foram armazenadas em um armazém por seis anos sem medidas de segurança e prometeu que os responsáveis ​​enfrentariam as "punições mais severas" .



Veja Mais

Veja Mais