• Redação

Bombeiros morrem na explosão no Líbano



Um incêndio seguido de explosão em um galpão na zona portuária de Beirute, na última terça-feira (4), causou mortes de centenas de pessoas e milhares de feridos. Entre as vítimas uma equipe do Corpo de Bombeiros de Beirute.



O galpão localizado na zona portuária guardava cerca de 2.750 toneladas de nitrato de amônia, um poderoso componente químico altamente explosivo.



Já se passava das 15h, horário local, quando os bombeiros de Beirute receberam um telefonema da polícia, que informaram que testemunhas haviam visto fumaça subindo do porto da cidade. Imediatamente, uma equipe de 10 - nove bombeiros do sexo masculino e uma paramédica – entraram em um caminhão de bombeiros e uma ambulância se deslocaram ao porto mesmo sem saber qual era o tipo de incêndio.



Segundo o primeiro tenente Raymond Farah que recebeu a ligação. "Eu disse a eles que não enviarei meus caminhões de bombeiros antes de saber que tipo de incêndio é esse. Preciso saber o que há lá. Um oficial da segurança do estado telefonou e disse que era um hangar com apenas fogos de artifício. Sabendo disso, e com base na ordem do comandante dos bombeiros, dei a ordem para partir".



Ao chegar no local a equipe pediu suporte para o chefe da unidade, mas já era tarde demais a explosão destruiu tudo em volta atingindo ainda o quartel dos bombeiros.



O hangar que havia o caminhão de bombeiros, ambulância e equipe evaporou, "O maior pedaço dos corpos dos bombeiros que encontramos é do tamanho de uma mão”, afirmou Farah.



Se soubéssemos que havia essa quantidade de material explosivo no porto, teríamos agido de maneira completamente diferente. Teríamos pedido uma evacuação da área e, definitivamente, não teríamos enviado esses jovens homens e mulheres, disse o brigadeiro-general Khankarli.



Bombeiros de todo o mundo lamentaram em saber que colegas de Beirute estão entre as vítimas da explosão da terça-feira no Líbano.

Veja Mais

Veja Mais