• Redação

Com vacinação de profissionais da educação, volta às aulas presenciais é urgente


Mais de 3 milhões de profissionais da educação básica do país já tomaram, pelo menos, a primeira dose ou a vacina de dose única.




Conforme dados do Ministério da Saúde, o processo de vacinação contra a Covid-19 da primeira dose dos profissionais ligados a educação básica e superior, nos estados e no Distrito Federal, atingiu praticamente 100%. Entre os vacinados, estão professores, diretores e todos os funcionários que trabalham para o funcionamento das escolas e universidades.




Em outubro do ano passado, o ministro da Educação, Milton Ribeiro, havia solicitado a inclusão dos trabalhadores da educação no grupo prioritário, a fim de garantir o retorno ao presencial de forma segura.




Na última terça-feira (20), o ministro Milton defendeu, durante pronunciamento em rede nacional, o retorno ao presencial. Ele afirmou que a medida não pode mais ser adiada. “Quero conclamá-los ao retorno às aulas presenciais. O Brasil não pode continuar com as escolas fechadas, gerando impactos negativos nesta e nas futuras gerações”, afirmou.




De acordo com Ribeiro, estudos de organismos internacionais indicam que o fechamento das escolas, por períodos longos, pode provocar consequências graves, como perda de aprendizagem e aumento do abandono escolar.




A vacinação desse grupo prioritário, já soma mais de 3,2 milhões de profissionais da educação básica vacinados, com a primeira dose, e mais de 518 mil com esquema vacinal completo ou vacina de dose única. Entre os profissionais da educação superior, mais de 340 mil já tomaram uma dose e mais de 30 mil estão imunizados com as duas doses ou com a única. Os dados são da plataforma LocalizaSUS, do Ministério da Saúde.




Conforme explicado pelo ministro Milton Ribeiro, durante o pronunciamento, a decisão sobre o fechamento e abertura das escolas não é do governo federal e dever obedecer às restrições sanitárias de cada localidade, tanto nas instituições de ensino básico, quanto nas de superior. Considerando a heterogeneidade do comportamento da pandemia no país.




O Ministério da Educação já investiu mais de R$ 1,7 bilhão para o enfrentamento da covid-19 no setor, criou um protocolo de biossegurança e, ainda, garantiu que o planejamento de cada unidade e o retorno das atividades presenciais tenha auxílio do MEC.

Veja Mais

Veja Mais