• Redação

Encerrada a aplicação da 1ª etapa do Revalida 2022/1




O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) encerrou, às 19h30min, (horário de Brasília) deste domingo (6), de março, a aplicação regular da primeira etapa do Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos Expedidos por Instituição de Educação Superior Estrangeira (Revalida) 2022/1.



As pessoas que solicitaram tempo adicional de prova e tiveram os pedidos aprovados poderão finalizar o exame após esse horário. Segundo dados preliminares do Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção em Eventos (Cebraspe), empresa responsável por aplicar o Revalida, aproximadamente 86% dos inscritos compareceram em cada turno de provas.



O exame ocorreu em oito capitais brasileiras: Brasília (DF), Campo Grande (MS), Curitiba (PR), Porto Alegre (RS), Recife (PE), Rio Branco (AC), Salvador (BA) e São Paulo (SP). No primeiro turno, foram aplicadas as provas objetivas e, no segundo período, as discursivas. Ao longo do dia, a Equipe de Tratamento de Incidentes e Riscos (Etir) — grupo que atua para gerenciar questões logísticas que possam ocorrer durante o exame — monitorou a aplicação.



As versões preliminares do gabarito da prova objetiva e do padrão de resposta da discursiva serão divulgadas na quarta-feira, 9 de março. No mesmo dia, inicia-se o período para interpor recursos. O prazo vai até o dia 14 deste mês. Em 11 de abril, o Inep divulgará os resultados definitivo e provisório das provas objetiva e discursiva, respectivamente. O período para interpor recurso referente a este último vai até 15 de abril. Já o resultado final do Revalida 2022/1 será publicado no dia 6 de maio, juntamente com os resultados definitivos das provas discursivas.



A nota de corte do exame — quantidade mínima de pontos a ser alcançada para a aprovação — é 99,6 (66% da pontuação máxima, 150). No Revalida, essa nota é calculada por meio do método Angoff Modificado, que consiste no julgamento do nível de dificuldade dos itens da prova por um grupo de especialistas — nesse caso, professores de cursos de medicina integrantes da Comissão de Avaliação de Itens (CAI).



Considerando a necessidade de isonomia entre os participantes, vale esclarecer que notas de corte diferentes são adotadas a cada edição, de forma que cada uma corresponde a seu respectivo nível de dificuldade. Assim, edições mais fáceis têm notas de corte mais altas e edições mais difíceis possuem notas de corte mais baixas, sendo todas as edições referenciadas na premissa do médico minimamente apto (proficiente) a atuar no Brasil.



Aplicado pelo Inep desde 2011, o Revalida busca subsidiar a revalidação, no Brasil, do diploma de graduação em medicina expedido no exterior. O exame é composto por duas etapas (teórica e prática) que abordam, de forma interdisciplinar, as cinco grandes áreas da medicina: clínica médica, cirurgia, ginecologia e obstetrícia, pediatria e medicina da família e comunidade (saúde coletiva).



As referências do exame são os atendimentos no contexto de atenção primária, ambulatorial, hospitalar, de urgência, de emergência e comunitária, com base na Diretriz Curricular Nacional do Curso de Medicina, nas normativas associadas e na legislação profissional.



O objetivo é avaliar as habilidades, as competências e os conhecimentos necessários para o exercício profissional adequado aos princípios e necessidades do Sistema Único de Saúde (SUS). O ato de apostilamento da revalidação do diploma é atribuição das universidades públicas que aderem ao instrumento unificado de avaliação representado pelo Revalida.

Veja Mais

Veja Mais