• Redação

EUA determinam que Rússia cometeu crimes de guerra na Ucrânia: Blinken




Os Estados Unidos determinaram que as forças russas cometeram crimes de guerra na Ucrânia, disse o secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, enfatizando que a avaliação de Washington é baseada em informações extraídas de “fontes públicas e de inteligência”.

Em um comunicado na quarta-feira, Blinken disse que houve vários relatos confiáveis ​​de “ataques indiscriminados e ataques deliberadamente direcionados a civis” na Ucrânia desde que a invasão da Rússia começou no final do mês passado.



“Hoje, posso anunciar que, com base nas informações atualmente disponíveis, o governo dos EUA avalia que membros das forças russas cometeram crimes de guerra na Ucrânia” , disse ele .



“Nossa avaliação é baseada em uma análise cuidadosa das informações disponíveis de fontes públicas e de inteligência. Como acontece com qualquer crime alegado, um tribunal com jurisdição sobre o crime é responsável por determinar a culpa criminal em casos específicos.”



Mas a Ucrânia e seus aliados ocidentais, principalmente o governo do presidente dos EUA, Joe Biden, acusaram a Rússia de cometer crimes de guerra em sua ofensiva, que entrará em seu segundo mês na quinta-feira.



Na semana passada, Biden disse acreditar pessoalmente que o presidente russo, Vladimir Putin, era um “criminoso de guerra” – uma observação que atraiu a condenação imediata de Moscou, que a chamou de “retórica inaceitável e imperdoável”.



O governo russo convocou o embaixador dos EUA no país esta semana por causa dos comentários do presidente dos EUA, alertando que os laços entre Washington e Moscou estão à beira da “ruptura”.



A Rússia disse a Washington na quarta-feira que expulsaria vários diplomatas americanos em retaliação à decisão dos EUA de expulsar funcionários russos da missão das Nações Unidas, informou a mídia russa.



Em sua declaração na quarta-feira, Blinken disse que as forças russas mataram ou feriram milhares de civis em ataques a prédios de apartamentos, escolas, hospitais, shopping centers e outras infraestruturas.



Ele apontou especificamente para a situação em Mariupol, a cidade portuária ucraniana que está sitiada por tropas russas há várias semanas e onde uma maternidade e um teatro que abriga civis foram atacados.



“As forças de Putin usaram essas mesmas táticas em Grozny, na Chechênia e Aleppo, na Síria, onde intensificaram o bombardeio de cidades para quebrar a vontade do povo”, disse Blinken.



Fonte: Aljazeera

Veja Mais

Veja Mais