• Redação

FDA acrescenta alerta sobre inflamação rara do coração às injeções Pfizer, Moderna COVID


A agência reguladora de medicamentos dos EUA acrescentou na sexta-feira um alerta à literatura que acompanha a Pfizer Inc (PFE.N) / BioNTech (22UAy.DE) e Moderna (MRNA.O) com as vacinas COVID para indicar o raro risco de inflamação do coração após seu uso.




Para cada vacina, as fichas técnicas para profissionais de saúde foram revisadas para incluir um aviso de que os relatórios de eventos adversos sugerem riscos aumentados de miocardite e pericardite, particularmente após a segunda dose e com o início dos sintomas alguns dias após a vacinação, disse o FDA.




Em 11 de junho, mais de 1.200 casos de miocardite ou pericardite foram relatados ao Sistema de Notificação de Eventos Adversos de Vacinas (VAERS) dos Estados Unidos, de cerca de 300 milhões de doses de vacina de mRNA administradas.



Os casos parecem ser notavelmente maiores em homens e na semana após a segunda dose da vacina. O CDC identificou 309 hospitalizações por inflamação do coração em pessoas com menos de 30 anos, das quais 295 tiveram alta.




Órgãos reguladores de saúde em diversos países têm investigado casos de miocardite e pericardite, mais freqüentemente encontrados em homens jovens, após uma injeção de Pfizer ou Moderna, vacinas baseadas na tecnologia de mRNA.




A última atualização do FDA segue uma extensa revisão de informações e a discussão do Comitê Consultivo sobre Práticas de Imunização do CDC, reunido na quarta-feira.




A Pfizer e a Moderna não responderam imediatamente aos pedidos de comentários após o horário comercial.



Fonte: Reuters

Veja Mais

Veja Mais