• Redação

Japão suspende 1,63 milhão de doses de Moderna por contaminação


O Japão suspendeu o uso de 1,63 milhão de doses da vacina COVID-19 da Moderna após relatos de contaminação em vários frascos, disseram a farmacêutica Takeda e o ministério da saúde.




A Takeda Pharmaceutical Company, que é responsável pela venda e distribuição da vacina Moderna no Japão, disse na quinta-feira que “recebeu relatórios de vários centros de vacinação de que substâncias estranhas foram encontradas dentro de frascos fechados”.





“Em consulta com o ministério da saúde, decidimos suspender o uso da vacina” de três lotes inteiros a partir de quinta-feira, acrescentou.



A empresa informou que informou a Moderna e “solicitou uma investigação urgente”. Moderna não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.



A Takeda não detalhou a natureza da contaminação, mas disse que até agora não recebeu nenhum relato de problemas de saúde decorrentes das doses afetadas.



Contaminantes foram vistos dentro de frascos de um dos três lotes, mas as autoridades suspenderam o uso dos frascos dos outros dois como precaução, disse o porta-voz do governo Katsunobu Kato.



“Não recebemos relatos de problemas de saúde decorrentes do objeto estranho”, disse ele a repórteres. “Mas estamos pedindo às pessoas que consultem seus médicos se sentirem qualquer anormalidade.”



A mídia japonesa disse que os três lotes foram produzidos na Espanha ao mesmo tempo.

Contaminantes foram vistos em 39 frascos não abertos em oito locais de vacinação no Japão central, incluindo Tóquio, de acordo com a emissora nacional NHK.




O ministério da defesa disse que as doses de um lote suspenso foram administradas entre 6 e 20 de agosto em seu centro de vacinação em massa na cidade de Osaka.




No entanto, a equipe verifica visualmente os frascos em busca de contaminantes antes de injetar a fórmula, disse o ministério, acrescentando que seu centro de vacinação em Tóquio não foi afetado.



Kato disse que não houve “relatos concretos” de que doses confirmadas para conter contaminantes foram administradas.



O ministério da saúde disse que trabalhará com a Takeda para garantir doses alternativas para evitar a interrupção do programa de vacinas do país, que aumentou após um início lento.



A Takeda se recusou a entrar em detalhes, citando a investigação da Moderna. Mas um porta-voz da empresa disse que a empresa encorajou o público a buscar vacinas.




Cerca de 43 por cento da população do Japão foi totalmente vacinada, enquanto o país luta contra um aumento recorde de casos de vírus causados ​​pela variante Delta, que é mais contagiosa.




Pelo menos 15.700 pessoas morreram de COVID-19 no país durante a pandemia, e grande parte do Japão está sob restrições de vírus.




Fonte: Al Jazeera

Veja Mais

Veja Mais