• Redação

Mundo reage ao reconhecimento de Putin da independência separatista da Ucrânia


A decisão do presidente russo, Vladimir Putin, de reconhecer a independência de duas regiões separatistas no leste da Ucrânia foi condenada, com o chefe da Otan chamando-a de violação de acordos internacionais.



Na noite de segunda-feira, Putin ordenou que as tropas “mantessem a paz” nas regiões separatistas de Luhansk e Donetsk.


Em resposta, os Estados Unidos anunciaram sanções financeiras contra os territórios rebeldes e alertaram que mais estavam prontos, se necessário.



As medidas da Rússia ocorrem em meio a meses de tensão sobre sua implantação militar nas fronteiras da Ucrânia, o que levantou temores de uma guerra total.



O presidente dos EUA, Joe Biden, "condenou fortemente" a decisão de Putin "de supostamente reconhecer a 'independência'" das regiões orientais da Ucrânia, disse a Casa Branca.


Biden também disse a seu colega ucraniano, Volodymyr Zelenskyy, “que os Estados Unidos responderiam rápida e decisivamente, em sintonia com seus aliados e parceiros, a uma maior agressão russa contra a Ucrânia”.



A secretária de imprensa da Casa Branca, Jen Psaki, disse que os EUA “anteciparam um movimento como esse da Rússia” e estavam “prontos para responder imediatamente”.



“O presidente Biden em breve emitirá uma Ordem Executiva (EO) que proibirá novos investimentos, comércio e financiamento por pessoas dos EUA para, de ou nas” regiões separatistas, disse ela. Psaki enfatizou ainda que “essas medidas são separadas e seriam adicionais às medidas econômicas rápidas e severas que estamos preparando em coordenação com aliados e parceiros, caso a Rússia invada ainda mais a Ucrânia”.



Enquanto isso, o secretário de Estado Antony Blinken disse que o “apoio dos EUA à soberania e integridade territorial da Ucrânia, bem como ao governo e ao povo da Ucrânia, é inabalável”.



“O secretário-geral considera a decisão da Federação Russa uma violação da integridade territorial e da soberania da Ucrânia e inconsistente com os princípios da Carta das Nações Unidas.



As Nações Unidas, de acordo com as resoluções relevantes da Assembleia Geral, continuam apoiando totalmente a soberania, independência e integridade territorial da Ucrânia, dentro de suas fronteiras internacionalmente reconhecidas. As resoluções relevantes da Assembleia Geral, continuam apoiando totalmente a soberania, independência e integridade territorial da Ucrânia, dentro de suas fronteiras internacionalmente reconhecidas.



Um autoridade iraniana informou que a interferência da Otan e os movimentos provocativos liderados pelos Estados Unidos tornaram as condições na região mais complicadas, acrescentou em comunicado.



Fonte: Aljazeera

Veja Mais

Veja Mais