• Redação

Operação Escudo resulta em mercadorias apreendidas


Em operação conjunta da Receita Federal com a Polícia Rodoviária Federal, no início da tarde de segunda-feira (24), na BR 282 em Lages, município localizado na região serrana catarinense, foram apreendidos cerca de 348 mil maços de cigarros contrabandeados do Paraguai.



A mercadoria estava em um caminhão, com placas de São Leopoldo/RS e, de acordo com o motorista, de 40 anos, o destino era Porto Alegre/RS. Motorista e passageiro, de 34 anos, foram conduzidos à Polícia Federal em Lages, onde vão responder por contrabando.



A carga, avaliada em R$ 1,74 milhão, foi levada ao depósito da Receita Federal e será destruída. A apreensão aconteceu no âmbito da Operação Escudo, que soma-se à Fronteira Blindada e à Muralha como mais uma barreira da Receita Federal no combate ao contrabando oriundo das fronteiras.




A Operação Escudo realizada pela Receita Federal já apreendeu durante duas semanas na região de Cascavel (PR), cerca de R$ 840 mil em mercadorias. A ação, de caráter permanente, consiste em ações coordenadas realizadas simultaneamente e de maneira intensiva no interior dos estados do Paraná e Santa Catarina, envolvendo a fronteira com um arco que se estende de norte a sul na região, de forma a surpreender as quadrilhas que promovem o ingresso ilegal de mercadorias para o restante do País.



Entre os dias 17 e 20 de agosto, mais de 20 servidores da Receita Federal participaram de ações nos centros de distribuição de encomendas postais, comércios, transportadoras, rodoviárias e estradas na região de Cascavel. Foram retidos mais de R$ 600 mil em produtos que estavam sendo enviados irregularmente por via postal em Umuarama e Cascavel, além de 15 kg de maconha escondidos em uma caixa de som.



A fiscalização nas estradas resultou na abordagem de vários viajantes, com a retenção de dois veículos portando uma grande quantidade de eletrônicos que ingressaram no país sem o correto pagamento dos impostos. Uma análise prévia das mercadorias e veículos apreendidos indica um total aproximado de R$ 840 mil em apreensões, mas este valor pode ser alterado após a conclusão da elaboração dos autos de infração.



Mesmo com as fronteiras terrestres com Argentina e Paraguai fechadas desde março por conta da pandemia causada pelo novo coronavírus (Covid-19), as quadrilhas especializadas em contrabando e descaminho continuam a atuar. De acordo com dados da Delegacia da Receita Federal em Cascavel, o valor das apreensões entre janeiro e julho deste ano na região somaram R$ 92 milhões, R$ 11 milhões a mais do que o registrado no mesmo período do ano passado.



Durante a primeira semana da Operação Escudo, deflagrada na região de Londrina entre 10 e 14 de agosto, foram retidos R$ 1,585 milhão em mercadorias, além de veículos usados para o transporte ilegal dos produtos.




Veja Mais

Veja Mais