• Redação

Rússia 'perdendo' a guerra na Ucrânia unirá o ocidente diz analista



A guerra na Ucrânia demoliu o mito do poderio militar russo, cimentou a aliança ocidental, bifurcou as finanças e o comércio global e devastou a economia da Ucrânia.



O conflito, desencadeado pela invasão em larga escala da Rússia ao seu vizinho há 100 dias, também ensinou lições militares aprendidas décadas, senão séculos atrás, segundo especialistas.




“Estamos percebendo que o poder de fogo é o fator básico que determina os desenvolvimentos no campo de batalha”, disse Konstantinos Grivas, professor de geopolítica e sistemas de armas modernos da Academia Militar Helênica em Atenas, Grécia.



“Vimos como a artilharia é importante em ambos os lados – nada terrivelmente avançado – sistemas de foguetes de lançamento múltiplo dos anos sessenta e foguetes … com longo alcance e alta precisão e alto poder destrutivo”, disse ele à Al Jazeera.



A Rússia recorreu ao seu poder de fogo superior porque faltou um bom planejamento estratégico. Com um mês de guerra, desistiu de tentar desferir um golpe decisivo na Ucrânia.



“A Rússia estabeleceu um objetivo político amplo que não poderia ser alcançado com meios militares… era impossível com as forças mobilizadas”, diz Panayotis Gartzonikas, ex-comandante de divisão blindada do Exército Helênico e professor da Escola de Defesa Nacional da Grécia.



Sua segunda estratégia parecia ser um cerco de todas as forças da Ucrânia no leste do país, pois estabeleceu cabeças de ponte em Popanska e Izyum para efetuar um movimento de pinça. Isso também parece ter sido abandonado em favor de um ataque direto a Severdonetsk, a cidade mais oriental em mãos ucranianas, e cercos menores em outros lugares.



Às vezes, a Rússia não tem competência tática. As forças ucranianas dizimaram a 74ª Brigada de Fuzileiros Motorizados da Rússia no mês passado, enquanto tentava cruzar o rio Siverskyi Donets, no leste da Ucrânia. As forças russas foram apanhadas em trânsito e alegadamente sofreram pesadas perdas . Houve relatos de motins russos em meio à incompetência, “A ameaça militar convencional da Rússia à Europa foi superestimada”, disse Grivas.




Fonte: Aljazeera

Veja Mais

Veja Mais