• Redação

Russos deixam Chernobyl; Ucrânia se prepara para novos ataques



Tropas russas deixaram o complexo nuclear de Chernobyl, altamente contaminado, na sexta-feira, depois de devolver o controle aos ucranianos, disseram autoridades, enquanto moradores de partes do leste da Ucrânia se preparavam para novos ataques e aguardavam suprimentos bloqueados de alimentos e outros socorros humanitários.



A empresa estatal de energia da Ucrânia, Energoatom, disse que a retirada de Chernobyl ocorreu depois que os soldados receberam “doses significativas” de radiação ao cavar trincheiras na floresta na zona de exclusão ao redor da usina fechada. A Agência Internacional de Energia Atômica disse que não poderia confirmar de forma independente a alegação de exposição.



No que seria o primeiro ataque desse tipo, se confirmado, o governador da região russa de Belgorod acusou a Ucrânia de voar com helicópteros através da fronteira na manhã de sexta-feira e atacar um depósito de petróleo.



O depósito administrado pela gigante russa de energia Rosneft está localizado a cerca de 35 quilômetros ao norte da fronteira Ucrânia-Rússia . O ataque de helicóptero incendiou a instalação e duas pessoas ficaram feridas, de acordo com um post do Telegram do governador de Belgorod, Vyacheslav Gladkov.



“O incêndio no depósito de petróleo ocorreu como resultado de um ataque aéreo de dois helicópteros das forças armadas da Ucrânia, que entraram no território da Rússia em baixa altitude”, escreveu o governador no aplicativo de mensagens.



Não foi possível verificar de imediato a denúncia ou as imagens que circulavam nas redes sociais do suposto ataque. A Rússia já havia relatado bombardeios da Ucrânia antes, incluindo um incidente na semana passada que matou um capelão militar, mas não uma incursão em seu espaço aéreo.



Em outros lugares, as forças ucranianas retomaram as aldeias de Sloboda e Lukashivka, que ficam ao sul da cidade sitiada de Chernihiv e localizadas ao longo de uma das principais rotas de abastecimento entre a cidade e a capital da Ucrânia, Kiev, segundo o Ministério da Defesa britânico.



Fonte: AP

Veja Mais

Veja Mais