• Redação

Ataque em Universidade de Cabul deixam 19 mortos




Um ataque na Universidade de Cabul, no Afeganistão, deixaram 19 estudantes mortas e 22 feridas, no final desta segunda-feira (2), quando homens armados invadiram o local e atiraram contra os alunos que estavam em sala de aula. Ação foi reivindicado pelo grupo do Estado Islâmico do Iraque e Levante (ISIL, ISIS), ocorreu com o aumento da violência em todo o país.



Foi o segundo ataque em menos de duas semanas que uma instituição de ensino vira alvo na capital.



Os sobreviventes descreveram cenas terríveis, o ataque aconteceu por volta das 11h hora local, quando um homem-bomba se explodiu dentro do campus. Outros dois homens armados começaram a atirar, informaram autoridades locais, centenas de estudantes fugiram saltando os muros da universidade.



Fraidoon Ahmadi, um estudante de 23 anos, disse à agência de notícias AFP que estava em sala de aula, quando o tiroteio começou. “Estávamos com muito medo e pensamos que poderia ser o último dia de nossas vidas, meninos e meninas gritavam, oravam e clamavam por ajuda”.




Segundo o porta-voz Hamid Obaidi, do Ministério da Educação Superior, o ataque começou quando funcionários do governo estavam chegando para a abertura de uma feira de livros iraniana organizada no campus.


Testemunhas disseram que centenas de pessoas foram avisadas para fugir e pular paredes do campus quando os terroristas abriram fogo contra os estudantes.



“Infelizmente 19 pessoas foram mortas e mais 22 feridas”, disse o porta-voz do Ministério do Interior, Tariq Arian, “Três agressores estavam envolvidos. Um deles explodiu seus explosivos no início do ataque, outros dois foram mortos pelas forças de segurança ”.



A agência de notícias ISNA do Irã tinha anunciado no domingo que o embaixador iraniano Bahador Aminian e o adido cultural Mojtaba Noroozi inaugurariam a feira, que deveria receber cerca de 40 editoras iranianas.



#ataqueemcabul #atentadoterrorista #afeganistão #alunosmortos #rxnoticias #feiradelivros #19mortos #




Fonte: AlJazeera



Veja Mais

Veja Mais