• Redação

Autorizada retomada das aulas no ensino superior


As instituições de ensino superior e de cursos livres já poderão voltar a realizar aulas presenciais em Salvador, a partir da terça-feira (3). Para esse retorno acontecer devem ser respeitados os protocolos, como o limite de alunos que deverá ser de 50% da capacidade total de cada sala, garantindo o afastamento mínimo de 1,5m. 



A decisão de voltar ou não caberá a cada faculdade ou universidade, discutindo isso com sua própria comunidade acadêmica. Aqueles que queiram voltar deverão seguir protocolos e regras bem definidos, a exemplo de critérios de distanciamento, higienização e segurança sanitária”, declarou o prefeito ACM Neto. 



Dentro do protocolo exigido, estará liberado o funcionamento de cursos presenciais preparatórios para concursos profissionais e provas da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Permanece a proibição para os cursos presenciais preparatórios para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e pré-vestibulares. 



Na ocasião, também foi anunciado que os professores e profissionais da rede municipal de ensino vão entrar em férias coletivas neste mês de novembro. “Isso para que, depois do mês de novembro, tenhamos uma perspectiva de organizar um calendário de retorno das aulas”, informou ACM Neto. 



No acesso às instituições de ensino, todos os colaboradores, prestadores de serviço e estudantes devem higienizar as mãos com água e sabão ou devem realizar o uso do álcool a 70%. 



Os ambientes de ensino devem privilegiar a ventilação natural e os horários de entrada, saída e intervalos das aulas devem ser escalonados de forma a evitar aglomerações.

O atendimento aos alunos e responsáveis deve ser prioritariamente virtual e, no acesso, não poderá ser utilizado controle biométrico. Haverá medição de temperatura para alunos, trabalhadores e prestadores de serviço. 



O uso da máscara será obrigatório para acessar e permanecer nas instituições de ensino. A orientação para os estudantes é de que levem as próprias garrafas de água. Os esguichos de bebedouros devem ser fisicamente bloqueados. Os restaurantes e lanchonetes que funcionam nestas instituições devem seguir o mesmo protocolo aplicado a restaurantes em geral. 



Quando não for possível o distanciamento físico nas mesas dos consultórios ou núcleos de prática jurídica, deverão ser instaladas barreiras de proteção sintética e transparente. A recepção destes ambientes deve manter o distanciamento físico entre os pacientes ou clientes, que deverão estar de máscara. Não será permitida a entrada de acompanhantes no espaço. O ambiente também deverá ter caixa de coleta/saco plástico para o descarte dos EPIs utilizados, na saída da atividade.   


                             

No caso de suspeita de contaminação, devem ser seguidas as orientações das autoridades sanitárias de notificação aos centros de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (Cievs) municipal e estadual. É necessário a realização de exame tipo RT-PCR do caso suspeito e de pessoas que mantiveram contato, além de higienização do ambiente e equipamentos da sala ou setor da instituição na qual foi identificado o caso suspeito. Quem tiver diagnóstico positivo confirmado deverá realizar isolamento pelo período mínimo de 10 dias.

Veja Mais

Veja Mais