• Redação

Corregedoria Nacional do MP investiga Promotores baianos

09.08.2020 às 22:40




O presidente do Conselho Nacional do Ministério Público determinou a abertura de um procedimento disciplinar para apurar desvio de função por parte dos promotores baianos e uma servidora. A denúncia foi encaminhada à Corregedoria Nacional do Ministério Público para que fossem apurados os fatos, no envolvimento dos promotores de justiça Aroldo Almeida Pereira, João Paulo Shocker e a assessora técnico-jurídico Deise Lúcia Figueiredo de Oliveira Galvão da 1ª Promotoria de Justiça de Santo Amaro.


O promotor WALTER TIYOZO LINZMAYER OTSUKA, membro da corregedoria nacional está responsável pelo procedimento disciplinar n° 100/514.2020-52, para apurar a suposta conduta incompatível com o cargo, falta de atuação, inércia e acúmulo indevido de cargos por parte de servidor do Ministério Público da Bahia (MPBA).


O site Rx Notícias conheceu o teor da notícia crime encaminhado ao Conselho Nacional do Ministério Público. Segundo a denúncia os promotores e a assessora jurídica fazem parte de um esquema de blindagem do prefeito Flaviano Rohrs da Silva Bonfim e a primeira-dama Marília Rocha, para perseguir adversários políticos. Em contrapartida os promotores se beneficiariam com combustível, presentes, viagens (inclusive para o exterior) e alimentação cedida pelo prefeito.


Deise Lúcia Figueiredo de Oliveira Galvão atua na Prefeitura de Santo Amaro como cargo comissionado (Diretora de Departamento – advogada), ao mesmo tempo em que exerce a função de assessora técnico-jurídico do MPBA, por indicação do promotor Aroldo Almeida.


Ainda de acordo com a denúncia, Deise é conhecida na cidade como a doutora do MP, porque realiza investigação e assina procedimento do órgão com o token (assinatura eletrônica) do promotor Aroldo que passa dias sem ir à cidade. Ao mesmo tempo a doutora Deise é advogada da Prefeitura e defensora da primeira-dama, além de atuar nas secretarias e eventos políticos.



Entre seus atos administrativos no Ministério Público, demonstra ainda mais seu poder ao colocar sua filha para atuar como estagiária.


Se por um lado a Super Doutora utiliza do cargo no MP para perseguir adversários políticos, por outro, no cargo da prefeitura ela utiliza do bacharelado em Direito para defender os aliados do prefeito.


A população santo-amarense agora já sabe por que as denúncias de desvio de verbas públicas, fraudes de licitação, superfaturamento e irregularidades na gestão pública não dão em nada quando protocoladas na Procuradoria Geral do Ministério Público da Bahia, pois esse grupo está sempre ligado a quem está no poder.


A denúncia conclui com a frase da doutora Deise “sou da turma do PEDRO MAIA e ninguém mexe com nós três”.

Veja Mais

Veja Mais