• Redação

Delegacia de Poções não tem computadores para registrar as ocorrências


O site Rx Notícias continua a série de reportagens mostrando o retrato das delegacias no Estado da Bahia fazendo um raio-x das condições nas unidades policiais e acabou encontrando uma verdadeira Zona do Descaso.



A delegacia da cidade de Poções, a 450km de Salvador, é mais um retrato da insegurança que passam as cidades do interior do estado da Bahia. A situação não é tão diferente das demais delegacias territoriais baianas, prédios ou casas velhas, mostrando a falta de compromisso com a segurança pública, por parte das autoridades baianas.


No caso da delegacia da Poções o que chama atenção é a falta de equipamentos básicos para registrar as ocorrências no município. Não tem computadores para utilizar o sistema que possa operacionalizar os registros das ocorrências, além disso a internet utilizada pelos policiais é fornecida pelos comerciantes locais, sem contar que funcionários são cedidos pela prefeitura para fazer os serviços do dia-dia na delegacia e sem essa ajuda já teria fechado as portas.



Um outro problema grave na unidade policial é a falta de policiais, sendo que só existem três investigadores, dois escrivães e uma delegada, em uma cidade com mais de 48 mil habitantes e um dos investigadores encontra-se afastado por conta do covid-19. Para atender de forma digna o número de cidadãos na cidade de Poções seriam necessários o triplo de policiais.



Segundo o Presidente do Sindicato dos Policiais Civis da Bahia (Sindpoc), a situação da delegacia de Poções é idêntica as demais delegacias de todo o estado, "falta infraestrutura, equipamentos básicos, falta de policiais, é preciso que o governo assuma a responsabilidade pela segurança pública, nós que estamos na linha de frente acabamos sendo cobrado por esse absurdo".



"A falta de policiais nas delegacias é uma vontade política temos dezenas de policias que foram aprovados nos concursos de 2007 e 2018, que ainda não foram empossados, no momento que estamos passando a segurança pública é prioridade e uma obrigação, cada dia somos vítimas da violência que assola todas as cidades, sem que o estado tome uma providencia com relação aos policiais que estão nas ruas para manter a sociedade segura", concluiu, Eustácio Lopes.


Há 16 anos, a Bahia sofre com a insegurança, os municípios baianos são reféns das facções criminosas responsáveis pelo trafico de drogas e os homicídios, um triste fato que tornou a Bahia o primeiro estado do nordeste no ranking em casos de homicídios.


A Delegacia Territorial da cidade de Poções na Bahia é uma verdadeira Zona do Descaso!

Veja Mais

Veja Mais