• Redação

Descaso com os trens do subúrbio põem em risco os passageiros


O descarrilamento de uma das composições 003 do trem do subúrbio causou momentos de pânico aos usuários na última sexta-feira (27). O acidente que não teve vítimas, aconteceu quando o trem saía da plataforma de Paripe para a estação da Calçada.



Cerca de 200 pessoas que utilizavam o trem no momento do acidente, viveram momentos de medo e terror, após o trem passar sobre “agulha” componente móvel do AMV (equipamento que permite o trem passar de uma via para outra), para trafegar na via principal.



Segunda uma passageira que estava em um dos vagões, pensou que iria morrer com a filha que caiu no chão, as pessoas pediam socorro, “eu gritei, socorro meu Deus eu não quero morrer”.



Desde 2013 que a Companhia de Transportes do Estado da Bahia (CTB), assumiu a tutela do município de Salvador, vem sucateando propositalmente os trens do subúrbio, exemplo disso foi abandonar os trens reformados e com ar acondicionado em galpão descobertos.



Segundo um funcionário da CTB que não quis se identificar, com medo de represália, explicou que o objetivo é para a população deixar de utilizar os trens do subúrbio para que sejam substituídos por monotrilho, "eles querem é causar transtornos aos usuários, para a população achar que o problema são os trens, o acidente que aconteceu na sexta-feira, foi provocado pela abertura da bitola do travessão que liga as linhas 2 e 1 e vice versa, causada por falta de manutenção periódica" afirmou.



Em nota a CTB informou que o vagão saiu dos trilhos por causa do peso.



O site Rx Notícias consultou um engenheiro ferroviário para explicar os motivos que poderiam levar um trem descarrilhar.



Para Carlo Alberto da Matta, engenheiro ferroviário, um trem pode descarrilar por diversas causas, sem se referir ao acidente ocorrido em Paripe, o especialista enumerou os conjuntos de causas:


1. Defeitos da Via Permanente


São defeitos dos trilhos, dos dormentes, do conjunto completo da via férrea e outros defeitos associados da via.



2. Defeitos do Material Rodante


São os defeitos dos próprios trens que podem ser das Locomotivas, dos Carros de Passageiros ou dos Trens Unidade. São defeitos nas rodas, no sistema de freio e em muitas outras peças.


3. Defeitos dos Sistemas de Sinalização e Comunicação


São defeitos causados por rádios e muitos outros sistemas correlatos.



4. Falhas Operacionais


Também conhecidas como Falhas Humanas as Falhas Operacionais constituem um conjunto de causas que ocorrem a partir de erros das pessoas que operam o trem ou mesmo que controlam o Trem no CCO (Centro de Controle Operacional) da Ferrovia e que autoriza e faz o monitoramento da circulação dos mesmos.


Por exemplo: um acidente por excesso de carga ou peso ou por carga excêntrica que venha a ocorrer com um trem de carga, tem como causa primária a falha de alguém da Ferrovia que permitiu o fato que originou o acidente.



5. Ações de Vandalismo


São as causas creditadas a "terceiros" como por exemplo uma situação extrema em que uma pessoa externa coloca uma peça de grande porte sobre a via férrea ou faz a retirada premeditada de trilhos da linha provocando o descarrilamento.



6. Causas de Terceiros


São os acidentes causados por terceiros em PNs - Passagens em nível- ou mesmo na linha férrea. Um exemplo clássico é quando um motorista rodoviário descumpre a Sinalização e provoca uma colisão com um Trem na PN ou mesmo provoca o descarrilamento do Trem após colidir com o seu carro com o Trem.



Enquanto isso, a população que mais precisa dos trens do subúrbio vivem a incerteza de até quando irão continuar utilizando. As diversas tentativas de encerrar as atividades dos trens vêm acontecendo paulatinamente para impor substituição para o monotrilho.



Se pensarmos em revitalizar os trens do subúrbio não se gastaria nem um terço do custo para implantar o monotrilho em uma parceria pública privada por 35 anos. Qualquer investimento para manter os trens do subúrbio funcionando duraria por mais de cem anos.



O insensato foi reformar os trens que custaram milhões para depois abandonarem escondidos em um galpão destelhado para virar sucata pela ação do tempo.



Enquanto isso, a população do subúrbio e os demais baianos aguardam uma resposta do Ministério Público da Bahia.

Veja Mais

Veja Mais