• Redação

Falso policial após ser ouvido na delegacia é liberado e sai rindo dos policiais


Policiais militares da Rondesp Central (Rondas Especiais), conduziram Diego Emanuel Carneiro dos Santos para a 13ª Delegacia Territorial (DT), acusado de tentar se passar por um policial civil, durante uma abordagem policial, na localidade da barragem no bairro de Cassange, na Região Metropolitana de Salvador, na noite da quarta-feira (7), por volta das 22h, em um carro no local próximo a um ponto de tráfico de drogas.


Na delegacia ficou comprovado que não se tratava de um policial e sim do motorista particular do ex-delegado chefe da Polícia Civil da Bahia, Bernadino Brito Filho. Diego não soube explicar aos policiais o que estava fazendo no local da abordagem.



Ainda na delegacia foi confirmado que a cédula de identidade da polícia civil apresentada durante abordagem era verdadeira e que o veículo modelo Etios de cor branca, placa policial PLM 1A57, é de fato uma viatura descaracterizada pertencente a SSP/BA.



Durante a apresentação do motorista Vip, o telefone da 13ª DT não parava de tocar, tudo isso por causa do ilustre Very important Person (Vip), não demorou muito para o motorista "especial" Diego Emanuel Carneiro dos Santos, ser ouvido e depois liberado sem ser autuado pelo crime de falsidade ideológica, para a revolta dos Rondespianos, que bravamente realizam diuturnamente suas rondas ostensivas para tirar das ruas criminosos de circulação para o bem da sociedade baiana.



A história volta a se repetir, como o próprio acusado informou aos militares que é a segunda vez, que ele é detido e só é preciso um telefonema para ser liberado. Neste caso não foi diferente, após o delegado de plantão do Centro de Inteligência e Tomadas de Decisões Táticas (Cidata) da Polícia Civil da Bahia, receber uma ligação e determinar que os militares conduzissem o falso policial para a 13ª DT, no bairro de Cajazeiras, ao invés de encaminhar para a Central de Flagrantes no Iguatemi, ondo certamente seria autuado em flagrante.



Diego Emanuel Carneiro dos Santos, tinha ainda em seu poder uma carteira de Agente Administrativo III, com Lotação no Departamento Médico da Polícia Civil da Bahia, cadastro nº 0000046, assinado por Dr. Bernadino Brito Filho, datada em 07/05/2020. Já sua nomeação se deu conforme Portaria Nº 00176271 de 13 de Março de 2020, na época o ex-secretário de segurança era Mauricio Telles Barbosa, conforme decreto:



Página 76 da Caderno Executivo do Diário Oficial do Estado da Bahia (DOEBA) de 14 de Março de 2020.

O Secretário de Estado do (a) SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA - SSP, no uso de suas atribuições legais, resolve nomear DIEGO EMANUEL CARNEIRO DOS SANTOS, para o cargo em comissão Coordenador IV, símbolo DAI-5, do (a) DEPARTAMENTO MÉDICO DA POLÍCIA CIVIL PC, a partir de 12 de Março de 2020.
MAURICIO TELES BARBOSA
SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA

Segundo Eustácio Lopes, presidente do Sindicato dos Policiais Civis da Bahia (SINDPOC), após ficar sabendo da prisão de Diego Emanuel, manteve contato com um delegado do Cidata, que confirmou que a identidade era oficial e autorizada pelo ex-delegado chefe Bernadino Brito, para o acusado porta-la e o procedimento do registro do boletim de ocorrência (BO) foi realizado na 13ª DT, " o que não consegui entender porque o conduzido foi liberado ao invés de ser preso em flagrante".



O mais estranho nesse caso do falso policial são as desculpas dadas para não dar o flagrante no acusado. Não precisa ser um perito de documentoscopia, para ver que os dois documentos são diferentes em suas finalidades. O modelo de cédula da esquerda é fornecido pela SSP para cargos comissionados e REDA como identidade administrativa, enquanto a cédula de identidade da direita é para identificação de delegados, escrivães, investigadores e peritos da Polícia Civil da Bahia.



Ainda Eustácio Lopes, só ficou sabendo do fato depois da matéria ser publicada no site Rx Notícias, certamente se não fosse publicado ninguém ficaria sabendo desse absurdo, "vamos cobrar uma apuração rigorosa, estarei empenhado para que todos os envolvidos nessa indecência sejam punidos conforme a lei", afirmou.



O caso do falso policial que foi preso em flagrante e depois foi liberado, saindo pela porta da frente da delegacia rindo dos policiais, igual a tantos outros que acontecem em toda a Bahia, os protegidos são sempre amigos dos amigos das pessoas influentes que se utilizam de seus prestígios e seu poder para liberar acusados que comentem crimes. Um coisa é certa "Os VIP's do 92", devem ter realmente as costas quentes ou os peitos fervendo, para serem liberado tão rapidamente.

Veja Mais

Veja Mais