• Redação

Greve Geral: Policiais Civis paralisam suas atividades por tempo indeterminado


Após Assembleia Geral Extraordinária realizada nesta manhã de terça-feira (15), os policiais civis da Bahia decidiram entrar em greve por tempo indeterminado. Cerca de 700 policiais civis estiveram na frente da Secretaria de Segurança Pública, na praça da Piedade, no centro de Salvador.



A greve foi o último recurso dos policiais em buscar de forçar o governo a dialogar com os servidores, já que o governador tem sido insensível com os pleitos da categoria. O governo vem mantendo uma postura desrespeitosa, inclusive desobedecendo uma decisão judicial, onde não apresentou uma proposta salarial de nível superior dos servidores.



Entre as deliberações apresentadas pelos policiais estão:



Sexta – feira (18.03) - Os policiais irão entregar as chaves das custódias de presos da delegacias do Estado da Bahia, o mesmo ocorrerá com todas viaturas sem condições de uso.


Segunda – feira (21.03) – Entrega de coletes sem condições de uso e as pistolas Taurus 24/7.


Sexta – feira (25.03) – entrega das chefias, extras e Greve geral dos Policiais Civis da Bahia, onde não ocorrerá nenhum tipo de serviço.



Além dessas deliberações também foram aprovadas a realização das blitz nas delegacias e a realização de quatro carreatas em Salvador, com data a ser definida.



Segundo o presidente do Sindicado dos Policiais Civis da Bahia (SINDPOC), Eustácio Lopes, a greve foi a única opção vista pelos policiais devido a intransigência do governador Rui Costa que é o verdadeiro responsável pela insegurança do nosso estado, "a Bahia é campeã em violência e somos o primeiro em homicídios das capitais do Brasil, isso graças a esse governo que não prioriza a segurança pública".



Para Eustácio, o governador Rui Costa terá que dizer para os baianos porque não dialoga com o policiais civis, lamentável a postura de um gestor público que não respeita o servidor de segurança pública, muito menos a justiça quando não acata uma decisão da desembargadora", afirmou o presidente do SINDPOC.



A Bahia é um dos estados do nordeste que paga o pior salário para policiais civis, sem falar dos piores índices da violência, as delegacias são locais insalubres e muitas das vezes sem menor condições para o policial trabalhar. Além disso mais de 100 cidades da Bahia não tem policiais civis trabalhando.





Veja Mais

Veja Mais