• Redação

Motorista-Vip do ex-delegado chefe é detido se passando por policial civil da Bahia




Policiais militares da Rondesp Central (Rondas Especiais), durante rondas ostensivas na localidade da barragem no bairro de Cassange, na Região Metropolitana de Salvador, nesta quarta-feira (7), por volta das 22h, abordou um homem com atitude suspeita, em um carro no local conhecido como ponto de tráfico de drogas, que se apresentou como policial civil. Após os militares interrogarem o suposto policial que por várias vezes caiu em contradição, foi conduzido a 13ª Delegacia Territorial (DT), em Cajazeiras.



Na delegacia descobriu que se tratava de um falso policial. Diego Emanuel Carneiro dos Santos, confessou que é contratado pelo REDA (Regime Especial de Direito Administrativo) e serviu apenas como motorista do ex-delegado chefe da Polícia Civil, Bernadino Brito Filho.



Durante averiguação foi encontrado com o falso policial, um veículo modelo Etios de cor branca, placa policial PLM 1A57, pertencente a SSP/BA, uma cédula de identidade da Polícia Civil da Bahia e um distintivo, ao verificar a documentação do carro ficou comprovado que o carro realmente é uma viatura oficial da SSP.



Segundo o próprio acusado, informou aos policiais que não é a primeira vez que foi detido se passando por policial civil, em um outro momento ele já tinha sido detido, mas foi liberado depois que um delegado pediu sua liberação, perguntado quem foi o delegado ele se limitou a dizer que foi um superior hierárquico. Ainda na delegacia foi encontrado uma carteira funcional de Agente Administrativo III, com Lotação no Departamento Médico da Polícia Civil da Bahia, cadastro nº 0000046, assinado por Dr. Bernadino Brito Filho, datada em 07/05/2020.



Denúncias de que agentes administrativos do REDA vinham se passando por policiais civis não é nenhuma novidade na polícia civil baiana.



Segundo Eustácio Lopes, presidente do Sindicato dos Policiais Civis da Bahia (SINDPOC), a muito tempo vem recebendo diversas denúncias sobre falsos policiais civis, que diga-se de passagem contratados do REDA, vinham se apropriando de vestimenta da polícia civil, como camisas, coletes e até o pior portando armas da polícia, com ou nenhum preparo e ainda com a conivência de autoridade para esses casos, "não podemos admitir que fatos como esses continuem acontecendo na nossa polícia civil, isso é inaceitável".



"Não iremos admitir que essa situação continue acontecendo na nossa instituição, já sabíamos que isso vinha ocorrendo mais sempre que investigávamos, algo estranho acontecia, como desaparecimento de ocorrência, além de ameaças contra colegas que sabiam e não podiam denunciar, com risco de serem punidos caso o assunto viesse a público", afirmou Lopes.



As denúncias sobre agentes administrativos que se passam por policiais não é novidade, além de ser de conhecimento de todos na polícia, tanto que eles são chamados por "Os VIP's do 92", homens jovens que são contratados pelo REDA para atuarem como motoristas VIP's e servirem a qualquer hora.

Veja Mais

Veja Mais