• Redação

MP investiga esquema de escala de plantão fraudulenta na Central de Flagrantes


Um esquema fraudulento de escala de plantão na Central de Flagrantes, no Iguatemi está sendo investigado pelo Ministério Público da Bahia. Delegados e servidores lotados na unidade policial recebem horas extras mesmo sem trabalhar. As investigações estão sendo feitas através do CAOPAM (Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Proteção à Moralidade Administrativa).


A denúncia da existência de uma esquema de escala falsa na Central de Flagrantes, foi denunciado por delegados e investigadores que não suportavam mais assistirem os atos de improbidade administrativa pelos gestores da unidade policial.



Embora, não seja nenhuma novidade a colocação de servidores administrativos em plantões extras para ganhar sem trabalhar, essa prática é muito utilizada durante o carnaval, onde é feita as farras dos plantões que correm solta em todas as secretarias.



A diferença é que os coordenadores da SSP perpetuaram essa prática pelo ano inteiro. Com as investigações realizadas pelo CAOPAM se espera encontrar a ponta de um Iceberg, devido outras unidades policiais da Secretária de Segurança Pública da Bahia atuarem de forma semelhante, na qual coordenadores aproveitam e colocam seus apadrinhados e coligados nesses escalas extras fantasmas.



No estado é comum que os servidores chamem alguns poucos colegas de "peixe" do chefe, já que esses poucos privilegiados são os protegidos e são eles que trabalham pouco e ganham mais. Mesmo ocupando cargos administrativos são colocados nas escalas de plantões extras. Contudo, seus nomes só aparecem no mural da unidade cumprindo 30 horas, mas nos seus contracheques constam os valores com as horas extras que chegam até 60 horas no mês.



Esses poucos apadrinhados também são conhecidos pelos servidores como: amigo, irmão, compadre, do homem, peixada, afilhado, Q.I., fato, livro e até bofe do homem. Uma coisa é certa, com o CAOPAM investigando os autores e seus protegidos desse esquema devem começar a se preparar para ressarcir o erário pelos valores recebidos indevidamente.


Recentemente um relatório supostamente disponibilizado pela Força Invicta (Associação dos Oficias Militares do Estado da Bahia), circulou nas redes sociais e grupos de WhatsApp com denúncias sobre um esquema parecido de diária e cargos de comissionados no Grupamento Aéreo (GRAER), da Polícia Militar da Bahia.



Recentemente o governador da Bahia, Rui Costa, encaminhou à Assembleia Legislativa do Estado, o Projeto de Lei (PL) 24.329/2021, que altera de 30h para 40h semanais, a jornada de trabalho dos servidores ocupantes dos cargos de Delegado de Polícia, Investigadores e Escrivães.



A PL encontra-se em discussão e para votação única (voto aberto), com previsão de ser votada nesta terça-feira (23).


Veja Mais

Veja Mais