• Redação

OMS: Ômicron se espalha mais rápido entre vacinados e recuperados



Em entrevista coletiva, em Genebra, na Suíça, o diretor-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS), alertou para o risco da nova variante causar infecções entre vacinados e pessoas que se recuperaram da covid-19. “É mais provável que as pessoas vacinadas ou recuperadas da covid-19 possam ser infectadas ou reinfectadas”.



As declarações de Adhanom aconteceu na segunda-feira (20), e chamou atenção do mundo, colocando em xeque a eficácia dessas vacinas experimentais, “Há evidências consistentes de que a ômicron está se espalhando significativamente mais rápido do que a variante delta”.


Enquanto isso, na Bahia, o prefeito de Salvador Bruno Reis e o governador do estado Rui Costa se omitem diante do alerta mundial sobre a propagação da nova variante ômicron, que avança rapidamente pelo mundo. A possibilidade de um retorno do cenário caótico como vimos antes, com falta de leitos e pessoas morrendo por causa do covid-19 é real. Mesmo assim, as autorizações para as festas privadas de final de ano continuam confirmadas.


O negacionismo ou ganância dessa gente fazem que a população menos esclarecida se exponha a nova variante por causa de um discurso falso feito pela mídia mercenária que propaga a notícia de que as pessoas vacinadas estão protegidas e podem comemorar nos espaços confinados.



O Comitê Científico do Consórcio Nordeste orientou pela proibição das festas de final de ano, como também o carnaval para todos os governadores nos estados que compõem o consórcio (Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe), por conta da variante Ômicron.



De acordo com o próprio comitê, as festividades de fim de ano e a folia podem gerar aglomerações que intensificariam a transmissão do vírus e resultariam em uma nova onda de covid-19.



A cientista-chefe da OMS, Soumya Swaminathan, classificou como “pouco inteligente” subestimar a gravidade da ômicron. “É provavelmente pouco inteligente relaxar e pensar que esta é uma variante leve, que não causará uma doença severa. Penso que, com os números subindo, todos os sistemas de saúde estarão sob pressão”, declarou.



Em Nova York, os casos novos de covid-19 aumentaram 60% na semana encerrada no domingo, em relação à semana anterior. Durante esse período, três dias seguidos com recordes de casos. Na última sexta-feira (17), o estado registrou 21 mil novos casos, maior número em quase um ano. Diante do novo surto da doença, o prefeito de Nova York, Bill de Blasio, disse que acompanhará a situação nos próximos dias, para então decidir sobre a manutenção ou suspensão da tradicional festa de Ano Novo, na avenida Times Square.



Seguindo as orientações da própria OMS e suas agências sanitárias, Alemanha, Espanha, Portugal, França, Reino Unido, República Tcheca e outros países do leste europeu cancelaram seus réveillon para evitarem o contágio pela variante ômicron que vem se espalhando rapidamente por toda Europa.



Pelo menos seis estados no Brasil, há mais de 10 dias, não atualizaram os números sobre o covid-19, são eles: Acre, Bahia, Goiás, Mato Grosso do Sul, São Paulo e Tocantins. Estranhamente, são os mesmos estados que já anunciaram suas festas de final de ano, e apostam na realização do carnaval em 2022.



Balanço divulgado nesta quarta-feira (22), pelo Ministério da Saúde, indica que foram registrados 32 casos no Brasil da nova variante do coronavírus, a Ômicron. As infecções foram registradas em São Paulo (20), Goiás (4), Minas Gerais (3), Distrito Federal (2), Rio Grande do Sul (1), Rio de Janeiro (1) e Santa Catarina (1). Há ainda, segundo a pasta, 23 casos em investigação, sendo dois em Goiás e 21 no Rio Grande do Sul.




Veja Mais

Veja Mais