• Redação

Policiais civis convocam assembleia e não descartam possibilidade de greve


A falta de diálogo, desrespeito, intransigência, indiferença, irresponsabilidade e desvalorização com o profissional de segurança são as características do governo do partido dos trabalhadores. É assim que o governador da Bahia Rui Costa, trata os Investigadores e Escrivães da Polícia Civil. Por esses motivos os policiais irão realizar nesta terça-feira (18), às 18h, uma assembleia extraordinária virtual que será colocada em votação um indicativo de greve.



Desde o início da pandemia, a Secretaria de Segurança Pública (SSP), se omite e não coloca em prática um protocolo sanitário nas delegacias, o resultado dessa omissão foram 26 investigadores que morreram por causa da covid-19.



Os policiais propõem que sejam tratados de forma igual como ocorre em outros órgãos e repartições públicas, a população para adentrar nesses ambientes precisam apresentar o “passaporte de vacinação", algo que nas delegacias não acontece.



Para Eustácio Lopes, presidente do Sindicato dos Policiais Civis da Bahia (SINDPOC), deixar de fora do decreto as delegacias mostra o tamanho desrespeito e falta de consideração do governador com os servidores da Polícia Civil, "temos cobrado da Delegada Geral, Heloisa Campos, um posicionamento, mas infelizmente não tivemos respostas”.



Ainda Lopes, há 16 anos os servidores da polícia civil vem sofrendo o desmantelamento e desvalorização como profissional de segurança, são mais de 100 delegacias no Estado que não tem investigadores e escrivães para trabalhar, causando medo e insegurança na população das cidades do interior, concluiu.


Veja Mais

Veja Mais