• Redação

Policiais civis realizam assembleia nesta terça e não descartam greve geral


O Movimento Juntos Somos Mais Forte, dos policiais civis da Bahia, realizam nesta terça-feira (15), às 9h, em frente a sede da Secretaria de Segurança Pública, na praça da Piedade, uma Assembleia Geral Extraordinária com indicativo de greve geral.



Na pauta de reivindicação consta o descumprimento de decisão judicial por parte do Governo do Estado, ao qual foi proferida no dia 03 de janeiro pela Desembargadora Marielza Maués Pinheiro Lima, determinando que o Estado a cada 30 dias discuta com os Policiais Civis as reivindicações e apresente proposta de salário de nível superior dos servidores.



A falta de compromisso com a segurança no Estado da Bahia e o desrespeito com os policiais civis por parte do governador Rui Costa, que tem ignorado o pleito, como também intensificando sua política de desvalorização dos investigadores e escrivães de polícia.



Segundo o Presidente do Sindicato dos Policiais Civis da Bahia (SINDPOC), Eustácio Lopes, os direitos dos policiais civis estão sendo usurpados, "não podemos aceitar que um salário de fome seja pago aos policiais".



Para Eustácio, o desrespeito do governador não apenas com os policiais e a sociedade, mas também com a justiça já que ele a desobedece, "a sociedade baiana vive em uma total insegurança, no interior da Bahia mais de 100 cidades não tem investigadores, escrivães e nem delegados, esse é o tamanho G da insegurança da Bahia".



Na Bahia vivemos há 16 anos, rodeados de violência e impunidade de um desgoverno. Os baianos não aguentam mais tamanha incompetência e traição desses parasitas que só sabem se nutrir do erário público.








Veja Mais

Veja Mais