• Redação

Policial Civil é expulso de casa por traficantes no São Caetano


Um policial civil foi expulso de sua residência juntamente com sua família depois que traficantes efetuaram diversos tiros na sua casa. O atentado aconteceu nesta segunda-feira (23), na Capelinha no bairro de São Caetano.



Uma guerra que vêm sendo travada por duas facções criminosas (BDM e Ajeita) no bairro de São Caetano, levou um grupo de traficantes tentarem assassinar o policial civil Alberto Batista e sua família, na manhã de hoje. Depois de atirar na casa do policial diversas vezes com armas de vários calibres, o bando tentou invadir a residência, como não conseguiu os marginais avisaram se a família não deixasse o local iria voltar para matar todos.



Ação criminosa não levou mais que dez minutos, entretanto o aviso foi dado, não restando outra alternativa, o policial juntou suas coisas e saiu com sua esposa e filho com ajuda de colegas da instituição para fugir do local às pressas.



Um morador que não quis se identificar informou que os traficantes já tinham expulsado uma outra família, onde o filho foi morto por ter envolvimento com o tráfico, "mas jamais imaginaria que eles iriam fazer isso com nosso vizinho, principalmente por ser policial, somos refém deles e nem podemos fazer nada".



Segundo Eustácio Lopes, Presidente do Sindicato dos Policiais Civis da Bahia (Sindpoc), a Secretaria de Segurança Pública (SSP) precisa dar uma resposta a essa situação, "caso a SSP não der uma resposta a categoria irá dar".



Para Lopes os policiais civis da Bahia estão reféns desses traficantes, os policiais não serão humilhados, "não podemos ficar com sentimento de impotência e indignação, quem tem que se curvar são os marginais e não os policiais".



"O Sindpoc está convocando todos os policiais civis para comparecer nessa quinta-feira (26) às 06h, em frente a 4ª Delegacia Territorial, "iremos sacudir o bairro do São Caetano e toda Salvador, concluiu Eustácio Lopes.

Veja Mais

Veja Mais