• Redação

Velho Oeste Baiano





RX - I


Em tempo de pandemia e quarentena no Velho Oeste Baiano, colaboradores estão migrando para o sul com medo da pistolagem.


E na onda do rádio do MP-BA, a música de maior sucesso é das coleguinhas, “Elas estão sempre aqui por perto, Pra te aconselhar, no que é certo, Nunca vão te de deixar na mão, Um amigo é como um irmão, Tão valioso quanto um tesouro, Amizade é assim no riso, e no choro, Ter amigas é tão legal, Pra viver sempre em alto astral”...


Como o Velho Oeste Baiano tem suas ramificações em todos os cantos da cidade, comentam que na 4 avenida tem gente cortando o cabelo toda a semana, para não parecer que está caindo.


Segundo uma amiga próxima da poderosa salamandra do TJBA, diz que ela estar usando cola labial para não deixar nada sair, “minha boca é um túmulo”.


Comentam nos bastidores que o Desing baiano das jóias e amigo dos poderosos, virou de vez devoto da Santa Irmã Dulce dos pobres, inclusive criou 32 minis cópias da santa (em pedras preciosas), para doar aos desembargadores que vem sofrendo com insônia. Pelo jeito a fé tira qualquer preocupação.


RX - II



Fontes da PF informam que mesmo com a pandemia o trabalho não para.

E não esquecendo das compras dos respiradores, tem muitos corações pulsando forte pela manhã, só voltando ao normal depois da 6h.


E o devoto de São Jorge vai ter que se contentar em passar a noite sozinho, lembrando das vezes que dormia de conchinha com seu companheiro que voltou para casa por causa do Covid-19.


Caso queira participar dessa coluna como colaborador oculto envie um e-mail para: rxnoticias@gmail.com

Veja Mais

Veja Mais