• Redação

Repórter mente ao acusar Bolsonaro de chamá-la de "idiota"




O que seria uma simples visita presidencial para entrega do trecho da rodovia BR-101, que liga Esplanada e Feira de Santana, com 58km de rodovias ampliadas, de suma importância para os baianos, nessa manhã de segunda-feira (26), pelo presidente Jair Messias Bolsonaro, tornou-se um espetáculo midiático.



Após o ato de entrega da duplicação da rodovia BR-101, importante marco para economia da Bahia, a visita se transformou em um espetáculo por parte da imprensa nacional, depois que uma repórter local 'atropela' outro repórter que está fazendo a pergunta "a CPI é motivo de preocupação Presidente?". Após um silêncio por parte de Bolsonaro responde... "você não tem o que perguntar não? Deixa de ser idiota cara. O repórter continua "não venha com essa não por favor".



Então a repórter local narra o acontecido da seguinte forma... "O presidente acabou de agredir um repórter aqui verbalmente chamou-o de ... e então ela emenda 'acabou de me chamar de idiota' porque fiz a pergunta."



Embora a repórter tenha feito uma pergunta capciosa direcionada ao Presidente da República, em um momento fora de contexto, que aparentemente nem ouviu, acabou assumindo para si a resposta dada, que podemos dizer não ortodoxa, ou em meias palavras "tolerância zero".



Contudo, quem assistir o vídeo republicado nacionalmente irá perceber que a repórter ao se aproximar do Presidente faz a pergunta com o microfone direcionado para ela, no momento em que ela estende o braço com o microfone direcional é no exato instante que Bolsonaro esta respondendo a pergunta feita pelo outro jornalista.



A repórter acaba vestindo a carapuça que viu na oportunidade momentânea, uma fama mediática nacional, eufórica e com um texto juntado se projetou para o estrelado das supostas vítimas do Presidente que não tem papa na língua. Outro fato que chama a atenção é que durante a coletiva, a repórter fez diversas perguntas ao Presidente que foi respondida sempre de forma cordial, porque então quando tudo já tinha terminado e a comitiva estava indo embora quis criar um factoide?



Não é o primeiro caso de repórter oportunista ou pretenciosa a se arriscar a fazer perguntas "INTELIGENTES", para autoridades consideradas de humor intempestivo, a Bahia é bom exemplo desse tipo de político, quem não se lembra do repórter da TV Itapuã que perguntou ao então ministro Antônio Carlos Magalhaes (ACM), o que ele achava das vaias do eleitores de Waldir Pires nas eleições para governador de 1986, sua resposta não foi tão gentil quanto a de Bolsonaro, "você é um mau educado, respeite o ministro seu filho da puta", com um sorriso amarelo o repórter se despede da sua transmissão ao vivo dizendo "TV Itapuã na cobertura das eleições de 86".



O que a maioria dos baianos e brasileiros não sabem é que a mesma repórter é militante de carteirinha do Partido dos Trabalhadores (PT), na Bahia, inclusive participou das últimas campanhas petistas na capital e no interior do Estado. A sua atitude já era de se esperar, quando militantes de esquerda se infiltram em todos os lugares para criar picuinha contra qualquer um que seja conservador e patriota.



Agora será que a mesma repórter tem a coragem de fazer algumas perguntas ao seu chefe e governador Rui Costa (PT), como exemplo: "quando o dinheiro da compra dos respiradores irão voltar para os cofres públicos para serem destinados a saúde dos baianos"?


"Governador Rui Costa, o senhor tem medo que a CPI do Covid-19 chegue a Bahia?"


"Governador Rui Costa, sente-se um genocida em ter deixado o Hospital Metropolitano fechado durante o ano de 2020 mesmo sabendo que milhares de baianos morreram sem um leito de UTI?"


"Governador não pensa nas milhares de famílias do subúrbio que ficaram sem o trem que era um transporte rápido e barato, para implantar o monotrilho que custará R$5 bilhões para os baianos?"


"Governador porque não nomeia os policiais civis que foram formados e ainda não foram nomeados para combater a violência no Estado?"


E ainda "Governador quem deu a ordem para executar o SD. Wesley?"



Com certeza nem a repórter e nem a maioria da imprensa baiana, muito menos os apresentadores populares que sobrevivem com o dinheiro do seu chefe petista teria a audácia de fazer tais perguntas para não perder as esmolas.





Veja Mais

Veja Mais