• Redação

Rx Noticias explica todos os riscos da imunização contra covid-19 para as crianças



Com o início da imunização para as crianças a partir de 5 até 11 anos, em todos os estados brasileiros, a maioria dos pais ainda desconhecem todos os riscos do imunizante para os filhos. O site Rx Notícias analisou a bula da vacina da Pfizer destinada as crianças contra o covid-19 e encontrou informações preocupantes que levam a qualquer adulto consciente a repensar em expor qualquer criança ou adolescente a um imunizante experimental.



Ao longo da pandemia sempre foi dito pelos especialistas que as crianças tinham uma maior resistência em adquirir o vírus do covid-19, e mesmo que houvesse o contágio as crianças não desenvolveriam os sintomas graças ao seu sistema imunológico em desenvolvimento.



O que parece é que esse discurso foi esquecido graças ao grande lobby das farmacêuticas no Brasil e no mundo. O que está ocorrendo é uma defesa da imunização em massa das crianças e adolescentes, mesmo que não haja uma comprovação da sua eficácia que valessem os riscos para quem está sendo exposto ao medicamento experimental. Nesse mesmo tempo os Estados Unidos, pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), está investigando casos de morte de adolescentes relacionados ao imunizante da Pfizer.



Validade da Vacina



Assim como acontece com qualquer vacina, o esquema de imunização de 2 doses da Comirnaty® pode não proteger totalmente todos os indivíduos que a recebem. Não se sabe quanto tempo dura a proteção gerada pela vacina em quem a recebe, devido a ensaios clínicos em andamento.



Entre as advertências contidas na bula, chama atenção que os estudos da "vacina" testada excluiu participantes imunocomprometidos e que tinham diagnóstico clínico ou microbiológico prévio da COVID-19.



Advertências:



Na composição desse imunizante deve se observar que contém o componente sacarose (açúcar), ao qual é um perigo para crianças portadoras de diabetes.



Como também não se recomenda a sua utilização em crianças com idade inferior a 5 e igual ou superior a 12 anos. Essa vacina não foi avaliada para uso concomitante, ou seja, no mesmo dia ou junto com outra vacina.



Após a vacinação, você deve estar alerta para sinais de miocardite e pericardite, como falta de ar, palpitações e dores no peito e procurar atendimento médico imediato, caso ocorram.


Casos muito raros de miocardite (inflamação do músculo cardíaco) e pericardite (inflamação do revestimento exterior do coração) foram relatados após vacinação com Comirnaty®. Normalmente, os casos ocorreram com mais frequência em homens mais jovens e após a segunda dose da vacina e em até 14 dias após a vacinação.



Para que o esquema vacinal fique completo, você deve receber duas doses da vacina Comirnaty®, com um intervalo recomendado de 21 dias (3 semanas) entre a primeira e a segunda dose.



A intercambialidade de Comirnaty® com outras vacinas COVID-19 para completar a série de vacinação primária não foi estabelecida. Os indivíduos que receberam 1 dose de Comirnaty® devem receber uma segunda dose de Comirnaty® para completar a série de vacinação primária.



A bula deixa claro que mesmo a pessoa vacinada não estar protegido até pelo menos 7 dias após a segunda dose da vacina.



Reações comuns e incomuns



Reações muito comuns nos pacientes que utilizam este medicamento: dor e inchaço no

local de injeção, cansaço, dor de cabeça, diarreia, dor muscular, dor nas articulações, calafrios e febre, vermelhidão no local de injeção, náusea e vômito.



Reações incomuns nos pacientes que utilizam este medicamento: aumento dos gânglios linfáticos (ou ínguas), reações de hipersensibilidade por exemplo, erupção cutânea (lesão na pele), prurido (coceira), urticária (alergia da pele com forte coceira), angioedema (inchaço das partes mais profundas da pele ou da mucosa), diminuição de apetite, dor nos membros (braço), insônia, letargia (cansaço e lentidão de reações e reflexos), hiperidrose (suor excessivo), suor noturno, astenia (fraqueza, cansaço físico intenso).



Como todo medicamento novo, mesmo que indicado e utilizado corretamente, podem ocorrer reações adversas imprevisíveis ou desconhecidas.



E por fim adverte, em caso de uso de grande quantidade deste medicamento (erro na dosagem), procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento se possível. Ligue para 0800-722-6001 se você precisar de mais orientações.




Veja Mais

Veja Mais