• Redação

Secretaria de Segurança Pública da Bahia faz vista grossa as denúncias de assédio moral



O imaginável se tornou regra nas dependências dos Departamentos e Delegacias de Polícia Civil da Bahia, policiais civis e servidores estão sendo vítimas de assédio moral e sexual por parte de seus chefes, delegados de polícia.



O número de casos de assédio moral, sexual e perseguições crescem a cada dia, só este ano já foram mais de 50 casos denunciados ao Sindicato dos Policiais Civis da Bahia (Sindpoc), relatados por investigadores, escrivães e servidores.



Não é a primeira vez, muito menos a última que ouviremos servidores e investigadores de polícia da Bahia se queixarem de serem transferidos de suas unidades depois de denunciar o assédio sofrido. Basta relembrar do caso do investigador que denunciou seu assediador, um delegado, que por todo momento propôs vantagens em viagens e um cargo de coordenador em troca de favores sexuais, por não ter aceitado as investidas do seu predador o perseguiu até que ele fosse transferido para uma outra unidade com as desculpas de ser um mal servidor.



Para Eustácio Lopes, presidente do Sindpoc, a Delegada Geral Heloísa Campos Brito, institucionalizou o corporativismo, ao invés de apurar os fatos e punir os responsáveis, vem fazendo vista grossa para as denúncias de assédio, "é nefasto deixar de punir os acusados e abrir mão das suas competências administrativas".



Segundo Lopes mesmo sabendo das práticas de assédio moral perpetrada pela delegada titular da Delegacia do Idoso e protocolada na Corregedoria da Polícia Civil, a delegada geral nada fez para punir a acusada, pelo contrário utilizou o Diário Oficial para retaliar as vítimas que foram removidas da unidade, como forma de intimidação aos demais servidores e para proteger a assediadora.


"O pior que mesmo protocolando a denúncia na Corregedoria da Polícia Civil da Bahia acaba dando em nada contra o assediador, na verdade eles fazem troca de favores para se protegerem", afirmou uma investigadora vítima de assédio sexual.



As vítimas de assédio moral e sexual sofrem consequências físicas, emocionais e psicológicas, o assediador atenta e fere os preceitos da dignidade humana, a não punição desses predadores só fazem aumentar os danos causados e o pior gerando novas vitimas.



Veja Mais

Veja Mais