• Redação

Vereador Sandro Bahiense repudia a extinção dos trens do subúrbio



A notícia da desativação dos trens do subúrbio, marcada para o próximo dia 15, divulgado com exclusividade pelo site Rx Notícias, trouxe à tona o processo de destruição da malha ferroviária dos trens de Salvador.



O Governo do Estado da Bahia, através da Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedur), encaminhou um ofício ao diretor da Companhia de Transportes da Bahia (CTB), para paralisação definitiva dos trens do subúrbio.



Embora o site Rx Notícias já vinha denunciando o caso através de uma série de reportagens sobre o sucateamento e o abandono dos trens do subúrbio para a implantação do monotrilho, só após a publicação da matéria “Última Viagem - trens do subúrbio encerrará suas atividades no dia 15 de fevereiro”, os baianos tiveram a consciência do ato nocivo a todos os moradores do subúrbio.



O vereador Sandro Bahiense (Patriota), preocupado com essa situação se manifestou contrário à extinção dos trens de Salvador.



Segundo o edil manter os trens do subúrbio funcionando é uma questão de sobrevivência de milhares de moradores da suburbana, já que o valor cobrado de R$ 0,50 dar o direito do trabalhador ir e vir da Calçada ao Bairro de Paripe, ”sei da importância desses trens para população carente do subúrbio”.



Para Bahiense desativar os trens do subúrbio para implantar um sistema de monotrilho cinco vezes mais caro é um retrocesso, ”com 2,5 bilhões anunciado pelo governo dava para comprar trens novos e revitalizar toda a extensão da via férrea, além de trazer emprego e renda para os moradores da suburbana”, afirmou.



Perguntado sobre aonde estão os trens reformados entregues pelo ex-prefeito ACM Neto, o vereador ficou de representar junto ao Ministério Público para apurar aonde estão esses vagões e qual a sua situação de conservação e por que eles não estão em funcionamento.



Com a desativação dos trens do subúrbio milhares de famílias irão ficar sem o meio de transporte, por outro lado serão obrigados a pagar o valor de R$4,20 nos ônibus que fazem o mesmo trajeto, no dobro do tempo nos horários de pico, concluiu o vereador Sandro Bahiense.



O vereador ainda se comprometeu em oficializar um pedido de tombamento municipal, visando a proteção da memória deste patrimônio histórico e cultural de valor nacional.




Veja Mais

Veja Mais